Mini Apostila para fazer o Planejamento Estratégico Pessoal / Individual - Daruma

A Versão 2016 do Planejamento Estratégico Pessoal
já está on line - Feliz 2016 com I.D.M. Simplificado Individual:
------------------------------
Como eu faço todo ano, (Versão 2013)
estou disponibilizando uma mini apostila para fazer o
Planejamento Estratégico Pessoal - Feliz 2013
http://www.slideshare.net/criaviva/feliz-2013-apostila-planejamento-estratgico-pessoal-com-idm

------------------------------
Este novo arquivo está diferente da apostila do ano passado Feliz 2012,
que continua disponível no SlideShare (Versão 2012):
 - Feliz2012.PDF - mini apostila para fazer o Planejamento Estratégico Pessoal.
 - http://www.slideshare.net/criaviva/feliz2012-10698800 
  
    Metodologia IDM Innovation Decision Mapping - Planejamento de Mudanças - Daruma   

Para Quem Prefere um Treinamento Presencial:
 - http://criavivaconsultoria.blogspot.com.br/p/treinamentos-abertos-e-in-company.html

--------------------------------------------
Uma Ferramenta interessante para Descobrir os nossos Objetivos é o Laddering, ver no Post: 
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/03/como-descobrir-necessidades-dos.html
      
Seja Simples 
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M.
Facilitador de Workshop de Planejamento de Mudanças / Estratégia e Inovação
http://metodologia-idm.blogspot.com.br/

CRIAVIVA  Treinamento de Liderança 
www.criaviva.com.br  -  criaviva@yahoo.com.br 
http://criavivaconsultoria.blogspot.com.br/ 
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/ (desde 2004)

Excelência Operacional com Integração da Equipe e Gestão do Conhecimento

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador 
  
O Tema Excelência Operacional
tem sido um tema recorrente nos últimos Workshops que Facilitei.
  
Uma análise superficial do tema, sem Diagnóstico,
nos leva a pensar em fazer o Redesenho dos Processos,
mas durante os Workshops apareceram duas variáveis fundamentais:
  • Integração da Equipe (Interfaces entre Áreas) / O Ser Humano
  • Gestão do Conhecimento (Tácito) / Aprendizagem Contínua       
   Metodologia IDM - Innovation Decision Mapping - Facilitação de Workshop - Treinamento Liderança  
  
No início do Workshop o grupo pensa apenas em:
  • Listar os Processos
  • Priorizar os Processos
  • Redesenhar os Processos
  • Definição de Indicadores de Gestão da Qualidade dos Processos 
Mas durante o Workshop o grupo percebe que a Causa dos Problemas
está nas Interfaces entre as Áreas:
  • Um área não conhece o que a outra Área faz
  • Existe muito Conhecimento Tácito não Compartilhado
  • Falta de Conexão entre as Áreas / As Interfaces são ignoradas 
   Metodologia IDM Innovation Decision Mapping - Workshop Treinamento Liderança   
    
Em alguns dos Workshops, nós realizamos também 
Atividades Experienciais (Comportamentais) para trabalhar:
  • Empatia
  • Desprendimento
  • Trabalho em Equipe
  • Sensibilização para a Importância das Interfaces
    (estas atividades foram conduzidas pela Aprendix
   Metodologia IDM Innovation Decision Mapping - Workshop Treinamento Liderança  
    
A parte cognitiva seguiu sempre a Metodologia I.D.M.
Innovation Decision Mapping com vários Brainstorming e
Diagramas de Causa e Efeito:
  • Sintomas: Compartilhar os Sintomas Percebidos (Onde Dói - Incômodo)
  • Objetivo: Definir o Propósito do Grupo e o Objetivo em Comum
  • Diagnóstico: Priorização de Processos (Interfaces) 
  • Idéias e Solução: Redesenho dos Processos    
O Segundo Elemento Fundamental para a Excelência Operacional é
a Gestão do Conhecimento:
  • Compartilhar Conhecimento Tácito
  • Experiência dos Colaboradores
  • Redesenho dos Processos
  • Acesso aos Processos (Documentação)
  • Treinamento
    (ver SECI - Takeuchi e Nonaka - Gestão do Conhecimento)  
Metodologia IDM Innovation Decision Mapping - Workshop Treinamento Liderança
   
Durante o Workshop (Diagnóstico),
a Equipe percebe que os problemas existentes hoje são fruto da
Gestão de Processos sem considerar a Gestão do Conhecimento,
pois cada Melhoria de Processos gera Novo Conhecimento Tácito (Experiência):
  • Aplicação dos Processos --> Novo Conhecimento Tácito
  • Novo Conhecimento Tácito --> Necessidade de Redesenho dos Processos
  • Novos Processo --> Novo Conhecimento Tácito  
Metodologia IDM Innovation Decision Mapping - Workshop Treinamento Liderança Facilitação
    
Por fim, manter a Excelência Operacional necessita também de:
  • Humildade, Cooperação, Sinergia
  • Sair da Zona de Conforto
  • Respeito, Disciplina
  • Comprometimento  
Para saber mais sobre Comprometimento e Socialização ver o Post:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/04/comprometimento-socializacao-e-workshop.html
   
Seja Simples
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M.
Facilitador de Workshop de Planejamento de Mudanças, Estratégia e Inovação
http://metodologia-idm.blogspot.com.br/
 
CRIAVIVA  Treinamento de Liderança
criaviva@yahoo.com.br  -  http://www.criaviva.com.br/  
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/

Nós damos mais Importancia para a Inovação ou para a Aprendizagem nas Empresas?

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador. 
  
Eu gostei do artigo abaixo sobre Inovação / Melhoria Contínua...
O artigo me fez lembrar de algumas coisas que me incomodam
quando se fala de Inovação.
  
A primeira coisa que me incomoda é
a pouca importância que se dá para a Aprendizagem.
Na minha percepção a Aprendizagem é a "Semente",
que gera qualquer Processo de Mudança.
O Resultado deste Mudança pode ser Percebida como:
Revolução, Inovação, Criatividade ou Melhoria.
  
   http://metodologia-idm.blogspot.com.br/2016/06/como-ter-disciplina-para-executar-o-que.html  
   
A segunda coisa que me incomoda é que
existem muitos artigos sobre Inovação,
mas que no fundo eles não ensinam a Inovar,
pois não ensinam a Aprender:
  
O Processo de Aprendizagem envolve:
  • Processo Heurístico ou de Descobertas
  • De Tentativa e Erro ou Método Científico
  • Capacidade de Criar Dúvidas e Soluções - Serendipidade
  • Métodos de Problem Solving: Backward, Wishful Thinking,
    Simplificação, Generalização, etc,
  • Metodologias: Como o I.D.M. Innovation Decision Mapping, CPS,
    Double Loop Learning, Means End Analysis, Pirâmide de Minto, etc.
  • Raciocínio Lógico de Agrupamento (Dedutivo) ou Causa e Efeito (Indutivo) 
  • Gestão (Compartilhamento) do Conhecimento Tácito nas Empresas  
  • etc.  
Mas talvez o mais importante seja:
  • A Liderança tem a Competência para Acelerar a Aprendizagem do Liderado?
  • A Liderança é Facilitadora da Aprendizagem?  
   http://metodologia-idm.blogspot.com.br/2016/06/como-ter-disciplina-para-executar-o-que.html  
    
A Terceira Coisa que me Incomoda é ver 
a busca desenfreada por Receitas Milagrosas de Inovação.
Tem gente que acha que basta assistir uma palestra Internacional de duas horas
ou ler um livro que já é suficiente para sair Inovando.
O resultado desta atitude imediatista é
um Custo elevado com Treinamento, pouco Resultado e Palestrantes Gurus ricos. 
  
Cada ano tem uma novidade que vira Moda:
  • Design Thinking ou Co Criação 
  • Blue Ocean Strategy 
  • Built to Last
  • High Performance Team
  • Learning Organization
  • Reengenharia
  • Qualidade  
A solução é (Habilidade ou Competência em usar as Ferramentas):
  • Conhecer Processos, Metodologias e Ferramentas de Aprendizagem/Inovação
  • Praticar, Praticar, Praticar, Errar, ...
  • Adaptar as Ferramentas à sua Realidade ou Criar novas 
Todo esse processo não dura menos de três anos.
 
   http://metodologia-idm.blogspot.com.br/2016/06/como-ter-disciplina-para-executar-o-que.html   
   
Eu mesmo demorei mais de três anos até perceber que o Brainstorming
do jeito que é ensinado nos livros americanos, não funciona tão bem no Brasil, 
então eu simplesmente mudei a regra principal do Brainstorming
  • de: Não Julgue as Idéias
  • para: Não Justifique as Idéias (ou percepções)  
Eu também tive que criar uma nova Metodologia: I.D.M. Innovation Decision Mapping,
pois as metodologias Americanas não eram tão eficazes no Brasil
da mesma forma que pareciam ser lá fora. 
     
Dê uma olhada também no vídeo abaixo também: 
http://www.hsm.com.br/videos/aprendizagem-voltada-aos-negocios-da-empresa-0 
   
Seja Simples.
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M.
Facilitador de Workshop de Planejamento de Mudança, Estratégia e Inovação
http://metodologia-idm.blogspot.com.br/

CRIAVIVA - Treinamento de Liderança
criaviva@yahoo.com.br - (11) 9 9778-7486
http://criavivaconsultoria.blogspot.com.br/
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/

Método de Inovação - Simplexity Thinking

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador 
  
Ver o artigo que saiu na HSM, 
Simplexity Thinking: o caminho da inovação sem atalhos 
http://www.hsm.com.br/editorias/inovacao/simplexity-thinking-o-caminho-da-inovacao-sem-atalhos 
  
Esta metodologia Simplexity Thinking de Min Basadur
se parece muito com o Innovation Decision Mapping,
que eu já utilizo a mais de 18 anos.
Este método tem 4 Etapas:
 • Geração – Procurar problemas para resolver
 • Conceituação – Definição do problema a ser resolvido
 • Otimização – Criação de soluções
 • Implementação – Colocar em ação
  
     
  
Eu acho que o Difere este Método do Innovation Decision Mapping
é a Etapa de Definição (Comprometimento) do Objetivo em Comum.
Lembro do meu amigo Oswaldo dizendo:
"Para que brigar contra um Problema quando
 podemos brigar a favor de um Objetivo?"
  
Eu preciso definir primeiro o Objetivo ou Resultado Desejado,
pois sem ele eu não consigo diferenciar Sintoma de Diagnóstico.
Diagnóstico = Obstáculo Que Impede de Atingir o Objetivo ou Resultado Desejado.
Sintoma = Qualquer percepção, fato ou dor que me incomoda.
  
     
  
Acho também que este Texto/Método lembra Chris Argyris:
 - Single-loop Learning (Curto Prazo - Gestão Operacional)
 - Double-loop Learning (Longo Prazo "Complexidade" ou Estratégico)
Que é uma das referência para a Metodologia Innovation Decision Mapping.
   
Felicidade
Eurico Gushi
Facilitador de Workshop de Inovação, Estratégia, Diagnóstico, 
Design Thinking, Co-Criação, Focus Group e Aprendizagem  
  
CRIAVIVA  Consultoria - Innovation Design Workshop  

Design Thinking, Co-Criacao e Focus Group - Facilitador de Workshop

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador.
  
Recentemente recebi a seguinte dúvida: 
Em que momento do Processo de Inovação
o Facilitador de Workshop pode atuar?
 
Uma resposta bem simples é:
Em Qualquer Momento onde as Pessoas, Juntas,
Criam Novos Conhecimentos ou Tomam Decisões.
Para isso precisam Compartilhar, Priorizar e Organizar o Conhecimento.
  
   Facilitador da Metodologia IDM Innovation Decision Mapping  
  
No Processo de Inovação o Desafio é um pouco maior
pois o Conhecimento mais precioso é o Conhecimento Tácito. 
Temos o Conhecimento Tácito tanto dos Clientes e Consumidores
quando dos Colaboradores da Própria Empresa, Fornecedores e Parceiros.
Para explorar o Conhecimento Tácito o Facilitador precisa dominar
os Processos Intuitivo e Heurístico.
   
   Facilitador da Metodologia IDM Innovation Decision Mapping  
   
Olhando o Processo de Inovação,
podemos identificar Quatro Pontos
onde o Facilitador de Workshop pode Atuar:
  •  1. Priorização de Oportunidades de Crescimento ou Estratégia
  •  2. Descobrir as Necessidades Percebidas pelos Clientes
  •  3. Desenvolvimento do Novo Produto ou Serviço
  •  4. Planejamento da Implementação 
   Design Thinking e Metodologia IDM Innovation Decision Mapping   
   
1. Priorização de Oportunidades de Crescimento ou Estratégia.  
  
Este Workshop é realizado com a Equipe Multidisciplinar interna da empresa,
e eventualmente com alguns convidados externos
(clientes, distribuidores, fornecedores, pesquisadores, especialistas ou parceiros). 
Neste Workshop é definido:  
 - Onde existe Oportunidade de Crescimento ou Inovação
 - Qual o Segmento de Clientes ou Público Alvo em Potencial
 - Algumas Idéias Genéricas de Produtos ou Serviços
A metodologia utilizada é o Innovation Decision Mapping:
 - Sintomas: Ameaças ou Oportunidades para a Empresa
 - Resultado Desejado: Visão ou Objetivo
 - Diagnóstico: Questão Chave ou Público Alvo
 - Idéias: de Produto, Serviço ou Público Alvo
Neste Workshop o Foco são as Necessidades e Estratégias da Própria Empresa
e não do Consumidor.
  
2. Descobrir as Necessidades Percebidas pelos Clientes: 
  
Após o primeiro Workshop, onde definimos o Público Alvo,
realizamos um Workshop de Focus Group com 12 clientes em potencial para descobrir:
 - Desejos
 - Necessidades
 - Percepção de Valor
A metodologia utilizada é o Innovation Decision Mapping:
As Etapas mais Importantes são: Sintomas, Resultado Desejado e Diagnóstico, 
mas podemos fazer um exercício de Geração de Idéias de Produtos e Serviços.
Neste Workshop o Foco são as Necessidades dos Clientes ou Consumidores,
esta é a diferença fundamental em relação ao primeiro Workshop. 
  
3. Desenvolvimento do Novo Produto ou Serviço: 
  
Este Workshop geralmente é Realizada com uma Equipe Multidisciplinar da Empresa.
Este é o momento Importante para exercer a Empatia e se colocar na pele do Consumidor.
Novamente utilizamos a metodologia Innovation Decision Mapping,
passando rapidamente pelas etapas Sintomas e Objetivo e
Focando a atenção nas Etapas Diagnóstico e Geração de Idéias de Produtos ou Serviços
que serão Testadas - Protótipos.
  
4. Planejamento da Implementação: 
  
Neste Workshop de Planejamento da Implementação e Gestão
é importante convidar as pessoas que irão Implementar e fazer a Gestão
do novo Produto ou Serviço, por três motivos:
 - Eles tem Conhecimento (Tácito), Vivência e Experiência
 - Eles sabem o que pode dar Errado (Lei de Murphy)
 - Para obter o Comprometimento com a Inovação
Novamente utilizamos a metodologia Innovation Decision Mapping:
 - Objetivo: Resultados Desejados ou Metas
 - Diagnóstico: Fatores Críticos de Sucesso
 - Plano de Ações: O Que, Como, Quem, Quando, etc. 
 
Eu nunca foi contratado para Facilitar os Quatro Workshop acima
na seqüência para um mesmo projeto.
O mais comum é Facilitar um ou dois Workshops em cada Projeto.
mas isso é para estudar caso a caso em função de inúmeras variáveis:
importância, criticidade, conflito, oportunidade, investimento, potencial, etc. 

--------------------------------
Dependendo da Metodologia de Inovação adotada,
podemos ter mais ou menos Workshops.
A escolha da metodologia depende da Cultura de Inovação da Empresa. 
  
Na Metodologia Design Thinking podemos ter dois Workshops:
  • Um só com Cliente 
  • Outro só com a Equipe Multidisciplinar da Empresa (Empatia)
   Processo de Inovação Design Thinking e Facilitação de Workshop de Focus Group  
  
Na Metodologia Co-Criação podemos ter um único Workshop:
  • Com Clientes e Equipe de Empresa Co-Criando as Idéias
  • ou o que é muito comum: Cliente Interno com Fornecedor Interno Co-Criando Juntos.  
   Facilitação de Metodologia IDM Innovation Decision Mapping Workshop de Inovação  
      
Na Metodologia "Consumer-Innovator"
podemos ter um único Workshop de Focus Group:
 - Somente com os Clientes Desenvolvendo as Idéias de Produtos e Serviços.
Neste caso é Fundamental ter um Facilitador Experiente.
  
   Facilitação Workshop Inovação Focus Group Metodologia IDM Innovation Decision Mapping  
  
Ver o Artigo Abaixo:
The Age of the Consumer-Innovator By Eric von Hippel
 http://sloanreview.mit.edu/the-magazine/2011-fall/53105/the-age-of-the-consumer-innovator/ 
 
Para saber mais sobre Facilitação de Workshop de Focus Group ver o Post:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/05/co-descoberta-de-necessidades-dos.html 
   
Seja Simples
Eurico Gushi - Criador da Metodologia IDM
Facilitador de Workshop de Planejamento de Mudanças, Estratégia e Inovação
http://metodologia-idm.blogspot.com.br/
  
CRIAVIVA - Treinamento de Liderança
criaviva@yahoo.com.br  -  http://www.criaviva.com.br/
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/

Metodologia de Inovação - Design Thinking - Diagnóstico e Protótipo

Olá amigos do grupo Líder Facilitador.
 
Eu tenho chamada a atenção para o perigo de
gerar Idéias Criativas prematuramente
sem antes fazer um Bom Diagnóstico
(descobrir o Real Problema ou Obstáculo). 
 
O artigo abaixo alerta para o mesmo perigo:
Early Prototypes Can Hurt a Team's Creativity - Harvard Business Review 
by Paul M. Leonardi
 Early on, a manager’s mantra should be:
 “I don’t want to hear solutions.
  I want to hear about the problems that our product needs to solve.”
  http://hbr.org/2011/12/early-prototypes-can-hurt-a-teams-creativity/ar/1 
  
Este artigo alerta para o perigo de construir Protótipo "perfeitos"
sem antes definir o Problema (Diagnóstico).
  
O que pode Estimular, prematuramente,
a Geração de Idéias e Protótipo é a leitura superficial
do Processo de Design Thinking:
  • Inspiração: Oportunidade e Necessidades 
  • Ideação: Brainstorming e Protótipo 
  • Implementação: Gestão Operacional
   Metodologia IDM Innovation Decision Mapping Workshop Treinamento Liderança Facilitação  
   
Para um olhar superficial do Processo de Design Thinking
parece que não existe uma Etapa Heurística de Descoberta do Diagnóstico.
  
Aqui no Brasil, o que eu tenho orientado é para seguir todas as Etapas
da Metodologia I.D.M. Innovation Decision Mapping:
  • Sintoma: Perceber o Sintoma como Oportunidade de Inovação
  • Resultado Desejado: Descobrir qual o Resultado Desejado do Cliente ou Consumidor
  • Diagnóstico: Descobrir o que Realmente Impede o Cliente de atingir o Resultado Desejado
  • Idéias e Protótipo: Somente a partir desta etapa é que pensamos na Solução
  • Implementação: Gestão Operacional
   Metodologia IDM Innovation Decision Mapping Workshop Treinamento Liderança Facilitação  
   
Seja Simples
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M.
Facilitador de Workshop de Planejamento de Mudanças, Estratégia e Inovação
http://metodologia-idm.blogspot.com.br/
 
CRIAVIVA  Treinamento de Liderança
criaviva@yahoo.com.br  -  http://www.criaviva.com.br/ 
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/

Treinamento ou Desenvolvimento da Intuicao - Processo Criativo

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador 
  
Tenho percebido a seguinte dúvida:
  • "É possível desenvolver a Intuição?"  
A resposta é sim, e existe várias formas de se Desenvolver a Intuição
para Solucionar Problemas, Ser mais Criativo e também para Inovar. 

  
A primeira dica é mudar o Comportamento perante um Problema.
Sempre que você deparar com qualquer Problema:

  • Tente entender o Problema 
  • Se não conseguir Resolver, deixe o seu Inconsciente Trabalhar nele 
   Intuição Decisão Criatividade Pensamento Metodologia IDM Lliderança   
  
Mude o Comportamento da seguinte forma: 
  • De:   O Problema Não Tem Solução 
  • Para: Eu Ainda Não Sei a Solução 
  • De:   É Impossível 
  • Para: Eu Ainda Não Descobri a Solução 
  • De:   Eu Não Consigo Resolver este Problema 
  • Para: Vou Deixar este Problema para o Inconsciente  Resolver  
Deixar um Problema no Inconsciente não é o Suficiente para Resolver o Problema,
você (consciente) precisa ficar Alerta para, a qualquer momento (dormindo, no banho, dirigindo, etc.)
receber do Inconsciente a Resposta Pronta ou uma Pista. 
(ver
http://en.wikipedia.org/wiki/Serendipity
É aconselhável anotar esta Solução ou Pista pois
é muito comum não lembra-la quando realmente necessitamos dela.
  
O Psicólogo Graham Wallas
Definiu em seu livro The Art of Thought (1926)
o Processo Criativo em 4 Etapas:

  • Preparação: Entender o Problema  
  • Incubação: Deixar o Problema no Inconsciente (Serendipity)  
  • Iluminação: Intuição, quando recebemos do Inconsciente a Solução ou Pista 
  • Verificação: Verificar a validade da Solução ou da Pista 
   Preparação Incubação Iluminação Verificação Graham Wallas Psicologo Criatividade  
  
De uma forma resumida o que ajuda a Treinar a Intuição é
dizer para si mesmo "Eu ainda não sei
Resolver o Problema".
Mas por incrível que pareça as pessoas não saem dizer "Eu não sei".

  
Faça o seguinte teste:
Diga para uma pessoa: 
 - "Eu tenho no bolso U$ 1.000,00 e vou dar de presente para você"
Questão: A frase acima:

  •  (a) é verdadeira 
  •  (b) é falsa 
  •  (c) eu não sei  
Diga para esta mesma pessoa:
 - "Eu tenho no bolso R$ 0,10 e vou dar de presente para você"
Questão: A frase acima:

  •  (a) é verdadeira 
  •  (b) é falsa 
  •  (c) eu não sei  
Pouca gente responde "Eu não sei" para as duas questões acima,
é comum a pessoa responder (b) na primeira e (a) na segunda.
Responder (a) ou (b) mata todo o Processo Intuitivo ou Criativo,
pois cessamos a busca por novas informações ou conexões.

Veja também o texto "Não Sei" de Antonio Ermírio de Moraes  http://www.sobreadministracao.com/nao-sei-antonio-ermirio-de-moraes/
  
Para quem ainda não conhece,
vale a pena assistir pelo menos um episódio da Série Monk:
 -
http://pt.wikipedia.org/wiki/Monk
   
Outra forma de treinar a Intuição (individualmente ou em grupo)
é utilizar a metodologia I.D.M. Innovation Decision Mapping.
Lembrando sempre que o Ponto Chave é a descoberta de Pistas 
e seguir Investigando as Pistas até a Descoberta ou Insight (Processo Heurístico).
A Intuição fornece pistas constantemente,
por isso é importante treinar a Percepção (Intuição) e não ignorar estas Pistas.
       

   Facilitação de Workshop de Estrategia e Inovação - Treinamento Liderança com IDM Planejamento Decisão  
A Metodologia I.D.M. tem Quatro Etapas:
Sintomas, Objetivo, Diagnóstico e Ideias (Plano de Ações):
 Facilitação de Workshop de Estrategia e Inovação - Treinamento Liderança com IDM Planejamento Decisão   

Para saber mais sobre o Treinamento da Metodologia I.D.M.: 
 - http://criavivaconsultoria.blogspot.com/p/treinamentos-abertos-e-in-company.html    

Seja Simples   
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M.
   
CRIAVIVA  Treinamento de Liderança    
www.criaviva.com.br  -  criaviva@yahoo.com.br - (11) 9 9778-7486 
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com/   
http://criavivaconsultoria.blogspot.com.br/    

Processo de Gestão do Conhecimento Tácito - Inovação

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador.
    
A Gestão do Conhecimento pode ser dividida em duas partes:

  • Gestão do Conhecimento Explícito (IT) 
  • Gestão do Conhecimento Tácito (Pessoas) 
A Gestão do Conhecimento Explícito é importante para os
Processos de Gestão/Controle e a Estratégia da Empresa.
A Gestão do Conhecimento Tácito é Fundamental para o
Processo de Inovação (Insight).
  
Abaixo uma visão macro do Processo de Gestão do Conhecimento Tácito:

  • Identificar as Pessoas com Conhecimento Tácito Relevante (Experiência) 
  • Capturar este Conhecimento Tácito através de Workshop e Intuição (Atitude) 
  • Organizar o Conhecimento Tácito com Ferramentas e Metodologias adequadas 
   Metodologia IDM Innovation Decision Mapping - Planejamento Decisão Engajamento Equipe Treinamento Liderança  
  
O Processo acima gera um Novo Conhecimento Explícito que pode:
  • Gerar uma Inovação (Insight) ou 
  • Ser entrada para o processo de Gestão do Conhecimento Explicito 
O Conhecimento Tácito está nas pessoas,
um dos pontos críticos da Gestão do Conhecimento Tácito é
Identificar as Pessoas que podem contribuir com Experiências/Vivências Relevantes
para gerar Insights/Inovações desejadas.
Pessoas podem ser de Dentro da Empresa e/ou de Fora da Empresa:

  • Fornecedores 
  • Funcionários 
  • Terceirizados 
  • Clientes, Consumidores 
  • Influenciadores, Pesquisadores, Consultores 
  • Parceiros 
  • Network, Contatos em Redes Sociais   
Estas pessoas participam do Workshop para
Compartilhar, Perceber, Compreender, Descobrir e
Construir juntos Novos Conhecimentos.
Podemos realizar Workshop Mistos com grande Diversidade de Pessoas ou
Focar apenas um Segmentos (Focus Group) de dentro ou de fora da empresa.
     

   Metodologia IDM Innovation Decision Mapping - Planejamento Decisão Engajamento Equipe Treinamento Liderança  
  
Durante o Workshop realizamos duas atividades:
  • Capturar o Conhecimento Tácito (Intuição) 
  • Organizar o Conhecimento Tácito (Ferramentas e Metodologias) 
Capturar o Conhecimento Tácito não é uma tarefa fácil,
as pessoas não expõem facilmente o Conhecimento Tácito por vário motivos:

  • Defesa: Não se expor demasiadamente  
  • Falta de Foco: Não saber qual Informação poderá ser Relevante 
  • Não saber Como Expressar o Conteúdo Tácito que acha relevante  
A Habilidade do Facilitador é fundamental nesta etapa para:
  • Tirar o Participante da Posição Defensiva (Fechado ou Eufórico) 
  • Saber Estimular e dar Foco durante o Processo  
  • Saber Capturar e Registrar o Conhecimento Tácito 
  • Acreditar no Processo Intuitivo 
Nesta etapa eu utilizo as seguintes Ferramentas:
  • O Brainstorming com a Regra "Sem Justificar" 
  • Diagramas de Causa e Efeito com Post-its 
  • Priorização com Votação não Verbal 
Para Organizar as Idéias e construir uma Síntese
é necessário do Facilitador, Raciocínio Lógico e Rápido e
Habilidade na utilização de Diagramas de Causa e Efeito e
de metodologia de Síntese (Método I.D.M. Innovation Decision Mapping),
além de uma Atitude Heurística para não perder nenhuma Pista Intuitiva.  
 
Acredito que se uma empresa tiver disciplina para realizar um
Workshop de Gestão do Conhecimento Tácito por mês (ou no mínimo dois por ano)
terá um oceano de Oportunidades de Inovação.
  
Abaixo algumas leituras recentes na HSM que achei interessante:
  
 - http://www.hsm.com.br/artigos/insights-de-dorothy-leonard
    O conhecimento tácito está em cérebros diferentes.
    Se você juntar as pessoas e permitir que elas errem,
    você cria o potencial da abrasão inovativa.
    É preciso planejar a transferência do conhecimento tácito
    que existe na sua companhia para que ele fique na empresa e
    seja aproveitado na forma de inovação.
   

------------------------------------------------------------------
Para saber mais sobre Gestão do Conhecimento, ver o Post:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2011/02/processo-gestao-do-conhecimento-artigo.html 

 
Para saber mais sobre Modelos de Gestão do Conhecimento, ver Post:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/09/dois-modelos-de-gestao-do-conhecimento.html   
 
Para saber mais sobre Raciocínio Lógico, ver o Post:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/09/metodologia-e-ferramentas-do-processo.html 
 
Seja Simples
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M.
Referência na Facilitação de Workshop de Tomada de Decisão, Estratégia e Inovação
http://metodologia-idm.blogspot.com.br/

CRIAVIVA - Treinamento de Tomada de Decisão e Priorização
http://www.criaviva.com.br/  -  criaviva@yahoo.com.br
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/

Livro - Exemplo do Innovation Decision Mapping

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador
  
A melhor forma de aprender a metodologia
Innovation Decision Mapping é Praticando,
mas achei o Livro abaixo
com um Exemplo perfeito da Aplicação da Metodologia. 
Estou pensando até em distribuir este livro nos Treinamentos/Workshops: 
 - Título: Fugindo das Garras do Gato
 - Autora: Choi Yun-Yeong
 - Callis Editora: (11) 3068-5600
 - (Adaptação da Fábula de La Fontaine - A Assembléia dos Ratos) 
   
Abaixo a descrição de cada etapa conforme a metodologia 
Innovation Decision Mapping:
 - Sintoma: Gato Malvado (Ameaça)
 - Resultado Desejado: Conseguir Perceber a Aproximação do Gato
 - Diagnóstico: Amarrar algo no Pescoço do Gato
 - Idéia: Guizo de Presente
  
Finalizando com (Outras Decisões):
 - Quem: A moça
 - Quando: Ao meio dia
 - Onde: Frente a Porta
    

   
   
A partir do Diagnóstico: "Amarrar Algo no Pescoço do Gato"
vem as etapas de Análise Sucessivas e Escolhas:
 - Pesado ou Leve?
 - Barulho, Brilhante ou Com Cheiro?
 - Despertador ou Guizo?
 - Com ou Sem Embrulho para Presente?
  
As Escolhas feitas por Votação foram:
 - Leve, Barulho, Guizo e Com Embrulho para Presente.
       

     
   
O Livro também pode ser um Exemplo Perfeito da Metodologia:
Princípio da Pirâmide de Minto e
SCQ Framework:
 - Situação: Ratos felizes no Celeiro próximo ao Natal
 - Complicação: Ameaça de um Gato Malvado no dia do Natal
 - Questão Chave: Como Perceber a Aproximação do Gato? 
  
A partir da Questão Chave, repetimos a Análise (Pirâmide de Minto)
da mesma forma que fizemos com o Decision Mapping (Imagem anterior):
 - Pesado ou Leve?
 - Barulho, Brilhante ou Com Cheiro?
 - Despertador ou Guizo?
 - Com ou Sem Embrulho para Presente? 

   
Felicidade
Eurico Gushi
Facilitador de Workshop de Inovação, Estratégia, Diagnóstico, 
Design Thinking, CoFocus Group 
  
CRIAVIVA  Consultoria - Innovation Design Workshop  
criaviva@yahoo.com.br  -  http://www.criaviva.com.br/  
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/

O Principio da Piramide - Minto

Existem várias metodologias de: 
  • Análise e Tomada de Decisão 
  • Diagnóstico e Solução de Problemas
  • Planejamento de Mudanças/Inovação/Estratégia 
Cada uma delas tem vários pontos em comum com a
Metodologia I.D.M. - Innovation Decision Mapping.
   
Exemplo: A metodologia: The Pyramid Principle de Bárbara Minto
(Princípio da Pirâmide de Bárbara Minto) é mais uma delas e é composta de duas Partes:
 1. Definir o Problema: "SCQ Framework":
      - Situação: Informações Relevantes
      - Complicação: Sinais de Preocupação
      - Questão Chave: Definição do Problema
 2. Solucionar o Problema:
      - Pyramid - Analysis (parece com Ishikawa Diagram)
  
Exemplo de Aplicação da Metodologia - Empresa Ford: 
   -
http://www.slideshare.net/sunilngupta/guptasunilfordscqv4 
Um pouco mais sobre a Metodologia:
   -
http://www.slideshare.net/achevallier/ibps-slideshare
  

  The Pyramid Principle Barbara Minto - SCQ Framework  
  
Podemos Comparar a Metodologia "The Minto Pyramid Principle" com o
I.D.M. "Innovation Decision Mapping", também dividindo em duas Partes:
 1. Definir o Problema (do Sintoma ao Diagnóstico):
      - Sintomas Percebidos / Situação Inicial (análise)
      - Resultado Desejado no Futuro, Objetivo ou Meta
      - Descoberta do Diagnóstico - Diagrama de Causa e Efeito (causa raiz)
 2. Solucionar o Problema (Solucionar o Diagnóstico) 
      - Pirâmide de Causa e Efeito nos dois eixo Horizontal e Vertical
      - Mapa Mental, mas com Causa e Efeito Bidimensional
      - É um Ishikawa Diagram mais complexo 

  
  Principio Piramide de Bárbara Minto - SCQ 
    
No Brasil sofremos com a "Percepção Sintomática" (Postura de Vítima).
Quando eu faço um Brainstorming de "Situação" ou "Complicação" ou "Questão Chave" (SCQ)
É comum aparecer: Reclamações, Dificuldades, Dores, Incômodos e Culpados Externos. 
Eu percebo muita dificuldade das pessoas distinguirem as três categorias:
"Situação", "Complicação" e "Questão Chave" 


É por este motivo que eu utilizo o termo "Diagnóstico", deixando bem claro
a diferença entre Sintomas e Diagnóstico. 

  • Diagnóstico = "Problema" a ser resolvido /  "Obstáculo" que impede de atingir o Objetivo
  • Sintomas = "Problemas" ou Sinais Negativos de fácil percepção / Ponta do Iceberg 
A Aplicação da Metodologia The Minto Pyramid Principle no Brasil
sem enfatizar que a "Questão Chave" é o "Diagnóstico" e não os Sintomas
pode gerar Resultados Insatisfatórios ou Fracos.
    
Um outro ponto interessante do The Pyramid Principle
é que na Análise da Questão Chave (Na Pirâmide)
os níveis abaixo podem ser simplesmente agrupados (dedução)
ou podem ser estruturados em diagrama de Causa e Efeito (indução).
 
No I.D.M. Innovation Decision Mapping todos os Níveis da Pirâmide são construídos
numa Relação de Causa e Efeito no Sentido Horizontal e Vertical (Raciocínio Lógico Indutivo). 

O que não ficou claro lendo os artigos na web é o processo de análise em cada nível da Pirâmide.
Os artigos citam apenas as duas perguntas padrões: "Por Que?" e "Como?",
mas não descrevem o Processo de Divergência e Convergência em cada nível.
 
No I.D.M. Innovation Decision Mapping, eu utilizo o
Brainstorming, Diagrama de Causa e Efeito e Votação em cada nível.       

  Metodo de Diagnóstico e Solução de Problemas - Tomada de Decisão 
   
----------------------------------------------------------------------------------------
Para saber mais sobre a Metodologia I.D.M. - Innovation Decision Mapping:
 - http://metodologia-idm.blogspot.com.br/

Para saber mais sobre Priorização de Problemas 
 - http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/02/como-priorizar-os-problemas-e.html  

Para saber mais sobre Pensamento de Análise e Síntese:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/09/metodologia-e-ferramentas-do-processo.html 
 
Para saber mais sobre Raciocínio Lógico:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/02/raciocinio-logico-organizar-o.html
         
Para saber mais sobre Raciocínio Lógico e Gerações X e Y ver o Post:
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/01/geracao-y-informacao-raciocinio-logico.html

 
Seja Simples
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M. (1994)
Referência na Facilitação de Workshop de Tomada de Decisão, Estratégia e Inovação

 - http://metodologia-idm.blogspot.com.br/

CRIAVIVA  Treinamento de Tomada de Decisão e Priorização 
www.criaviva.com.br  -  criaviva@yahoo.com.br   
http://criavivaconsultoria.blogspot.com.br/  

http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com/  
 

Empatia - Focus Group - Co-Criação

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador.
 
Quando queremos Descobrir as Necessidades dos Clientes ou
desenvolver um Novo Produto ou Serviço de Valor para os Clientes,
me incomoda o Termo ou Conceito "Empatia".
Me parece que a "Empatia" é mais uma desculpa para:

  • não ouvir o cliente 
  • não interagir com o cliente 
  • não fazer workshops de focus group 
  • não fazer workshops de co-criação 
  • e exercer a prepotência 
 Facilitação de Workshop de Estrategia e Inovação - Treinamento Liderança Planejamento Decisão IDM  
 
Eu acho que Empatia é algo muito difícil de praticar de verdade.
Acho que não temos esta competência, acho até que vai contra a natureza humana.
No máximo eu posso Fingir que sou o Cliente e desenvolver o Produto ou Serviço do"Cliente"
e no final acabo desenvolvendo um Produto ou Serviço que "Eu" gostaria de Comprar.
 
Vamos analisar a "Empatia" dentro da
Metodologia I.D.M. Innovation Decision Mapping:

  • Sintomas (Presente) 
  • Resultado Desejado (Futuro) 
  • Diagnóstico (Heurística) 
  • Ideias (Solução: Produto ou Serviço) 
 Facilitação de Workshop de Estrategia e Inovação - Treinamento Liderança Planejamento Decisão IDM  
 
Sintomas.
Acredito que nesta primeira etapa
seja a mais fácil de praticar a Empatia para Descobrir: 

  • Quais os Problemas Percebidos pelo Cliente? 
  • Onde Dói; O Que Preocupa o Cliente? 
Resultado Desejado.
Acho que nesta etapa começa a ficar
mais difícil praticar a Empatia para Descobrir:

  • Os Objetivos do Clientes 
  • Os Sonhos ou Aspirações dos Clientes 
Até porque muitos clientes não priorizam os seus Objetivos (querem tudo).
 
Diagnóstico:
Nesta etapa é quase impossível praticar a Empatia,
pois o Cliente não sabe qual é o Real Problema (Diagnóstico)
e o Processo de Descoberta do Diagnóstico é um Processo Heurístico (Tentativa e Erro),
onde o Conhecimento Tácito e a Intuição são muito Importantes.
 
Idéias:
Muitas vezes os Fornecedores geram Idéias para Aliviar os Sintomas,
que percebem através da Empatia, mas
não Resolvem o Real Problema (Diagnóstico).
 
Em cada uma das etapas acima aplicamos o Brainstorming para gerar as Opções
e em seguida fazemos as Escolhas ou Priorização das melhores Opções. 
Quando falamos em Empatia, podemos Gerar Opções de forma Empática,
mas na hora de Priorizar, Escolher e Decidir, acabamos utilizando os
nossos Critérios, Valores e Crenças, sendo muito difícil ser Empático nesta hora,
como resultado, o Produto final atenderá as Necessidades do Fornecedor e não do Cliente.

 
  Facilitação de Workshop de Estrategia e Inovação - Treinamento Liderança Planejamento Decisão IDM 
 
Seja Simples
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M.
Facilitador de Workshop de Planejamento de Mudanças, Estratégia e Inovação 

http://metodologia-idm.blogspot.com.br/

CRIAVIVA - Treinamento de Liderança 

criaviva@yahoo.com.br  -  www.criaviva.com.br 
http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/  

Inovação a Partir do Usuário

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador.

Abaixo um artigo que fala da
Inovação a partir do Usuário.

The User Innovation Revolution
Eric von Hippel (MIT Sloan School of Management) - September 21, 2011
 -
http://sloanreview.mit.edu/the-magazine/2011-fall/53107/the-user-innovation-revolution/   
Surprisingly often, von Hippel argues,
ideas for new or improved products come first
from users who develop improvised versions to serve their own needs.
Manufacturers then may discover, polish and capitalize on user innovations —
particularly if those innovations begin to catch on with a group of users.

Dizer que o Usuário é uma das Fontes de Idéias para Inovação
não é nada de Novo.

A Questão chave é:
 - Por que as empresas não Inovam a partir do "Usuário"?
 - Quais são os Obstáculos que impedem a Inovação a partir do Usuário?

A Primeira Questão Importante é:
 - Quem Desenvolve o Produto também é o Usuário do Produto?

No caso da Apple os Desenvolvedores dos Produtos
também são os Usuários dos Produtos,
assim não há a necessidade de Ouvir os Usuários (Cliente Externo).
Basta ter idéias, desenvolver Protótipos e Avaliar o resultado,
tudo dentro de casa.
 
Um exemplo bem diferente é quando temos
Gerentes e Diretores de Marketing que são da Classe A e B
desenvolvendo Produtos ou Serviços para Classe D e E.
Neste caso, como os Desenvolvedores não são usuários dos Produtos que estão desenvolvendo,
é prudente Ouvir o Usuário Real (Cliente Externo)
 


  
 
Mesmos nos casos onde os Desenvolvedores não são Usuários dos Produtos ou Serviços,
o que se vê na prática é Desenvolvedores que não Ouvem os Usuários dos Produtos ou Serviços.

Acredito que um dos motivos para o Desenvolvedor não querer Ouvir o Cliente
é a Arrogância, achando que já sabe tudo ou que o cliente não sabe nada,
mas muitas vezes pode ser medo de descobrir que o cliente sabe mais que o desenvolvedor.

Outro motivo do Desenvolvedor não Ouvir o Cliente é
por falta de Conhecimento de Técnicas e Metodologias para Ouvir o Usuário.
Como esta não é uma atividade que se faz com freqüência,
o Desenvolvedor não consegue desenvolver a Habilidade para Ouvir o Usuário,
é por este motivo que existe o Facilitador Especialista na Condução de Workshops de Focus Group.      

 
  
  
O mesmo raciocínio que utilizamos para desenvolver Produtos e Serviços
pode ser aplicado na hora de Criar Campanhas Publicitárias.
Ouvir o Usuário para Descobrir a sua Percepção de Valor.   
 
Felicidade
Eurico Gushi
Facilitador de Workshop (Reunião) de Inovação,
Design Thinking, Focus Group, Estratégia e Diagnóstico

CRIAVIVA  Consultoria - Innovation Decision Mapping
criaviva@yahoo.com.br  -  www.criaviva.com.br http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.

Mitos Sobre Inovacao

Olá amigos do Grupo Líder Facilitador.

O Artigo abaixo fala de 5 Mitos sobre a Inovação:
The 5 Myths of Innovation - SMR

 - http://sloanreview.mit.edu/the-magazine/2011-winter/52210/the-5-myths-of-innovation/

O artigo é interessante, mas superficial/macro.

Na minha opinião o maior de todos os Mitos sobre a Inovação é: 
"A Inovação é resultado de um único e extenso Brainstorming".

A Inovação é resultado de um Processo (Metodologia) e não de um Evento (Brainstorming).
O Brainstorming é sim, junto com o Diagrama de Causa e Efeito, 
as duas Principais Ferramentas que eu utilizo no decorrer de um Processo de Inovação.
 
Eu uso o Brainstorming e o Diagrama de Causa e Efeito em cada uma da Etapas abaixo:
 - Descobrir Oportunidades de Inovação (Produto, Serviço, Segmento de Mercado, Processo, etc.)
 - Descobrir o Segmento a ser Atendido (Perfil Comportamental, Região, Sazonalidade, etc.)
 - Descobrir as Reais Necessidades do Segmento
 - Descobrir os Fatores Críticos de Sucesso ou o Diagnóstico
 - Desenvolver o Produto ou Serviço ou Gerar Idéias (Esta etapa é apenas uma parte do Processo)
 - Protótipo
 - Criatividade e Melhoria do Produto - Extensão do Produto, Linha o Marca
 - Temos também Inovação em Processos: Produção, Distribuição, Comercialização, etc.

 
  

Apenas para citar algumas Metodologias de Inovação:
 - Design Thinking
 - Estratégia do Oceano Azul
 - Innovation Decision Mapping


É claro que existem outros conhecimentos que devemos buscar além de Metodologias e Ferramentas.
Por exemplo, para aplicar o Brainstorming acho bom conhecer alguns Conceitos:
 - Conhecimento Tácito e Intuição
 - Mecanismo de Defesa: Racionalização
 - Modelo Mental, Linguagem e Percepção
 
Se alguém começar a desconfiar que aplicar o Brainstorming não é tão fácil assim,
não esqueça que a etapa de Priorização é mais complexa, pois envolve
além dos conceitos acima:
 - Critérios e Valores
 - Diagramas de Causa e Efeito


  
   
Felicidade
Eurico Gushi
Facilitador de Workshop (Reunião) de Inovação,
Design Thinking, Focus Group, Estratégia e Diagnóstico


CRIAVIVA  Consultoria - Innovation Decision Mapping 
criaviva@yahoo.com.br  -  www.criaviva.com.br 
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com/  
 

Endomarketing - Comunicação Interna - Design Thinking em RH

Olá Amigos do Grupo Líder Facilitador

Recentemente, em função de uma Facilitação de Workshop 
pesquisei rapidamente sobre Endomarketing,
achando que Endomarketing era Marketing Interno, mas me enganei,
depois de algumas leituras percebi que Endomarketing se parece mais com
Comunicação Interna, ou seja, apenas uma pequena parte do Marketing.
 

 Comunicação Interna e Endomarketing 

O Endomarketing ou Comunicação Interna
parece não contemplar algumas etapas do Marketing:
 - Percepção de Necessidade do Cliente Interno
 - Segmentação do Cliente Interno
 - Percepção de Valor do Cliente Interno
 - Desenvolvimento de Produto ou Serviço Customizado para o Cliente Interno.

Na prática, o Endomarketing, ou Comunicação Interna
parece seguir o seguinte processo:
 - Definir o Que Comunicar
 - Definir para Quem Comunicar
 - Definir o Canal de Comunicação
 - Executar a Comunicação
 

 Endomarketing e Comunicação Interna
   
Acredito que a Área de RH tenha uma Grande Oportunidade de
ir alem do Endomarketing (Comunicação Interna) e começar a utilizar
as Ferramentas Modernas de Marketing para atingir a Satisfação do Cliente Interno.

Abaixo uma sugestão de Processo de Marketing Interno para o RH
para melhorar a Satisfação do Cliente Interno.

 - Percepção de Sintomas: Insatisfação do Cliente Interno / Pesquisa de Clima
 - Identificar Clientes Insatisfeitos
 - Segmentar os Clientes Insatisfeitos por Necessidades ou Comportamento
 - Fazer um Focus Group com os Segmentos mais Relevantes
    . Descobrir Necessidades destes Clientes Internos
    . Descobrir os Resultados Desejados destes Clientes Internos
    . Descobrir com o Grupo o Diagnóstico
    . Desenvolver com eles - Co Criação - Idéias Customizadas
    . Executar os Protótipos, Avaliar e Definir a Solução
  
O Processo acima utiliza as seguintes Ferramentas ou Metodologias:
 - Metodologia I.D.M. - Innovation Decision Mapping: Sintomas, Objetivo e Diagnóstico 
 - Segmentação do Cliente Interno por Necessidade ou Comportamento 
 - Workshop de Focus Group com um Facilitador Experiente
 - Design Thinking: Foco no Cliente, Intuição e Protótipo
  

 Endomarketing Comunicação Interna Marketing - Pesquisa Clima Organizacional 
  
Acho que dá para resumir todo este post em uma única pergunta:
 - Quando o RH vai usar o "Design Thinking"? 

 
----------------------------------
O RH pode utilizar o Design Thinking para melhorar o "Clima Organizacional"
Ver o Artigo abaixo: 
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com.br/2012/07/pesquisa-de-clima-organizacional-valor.html 
  
Seja Simples 
Eurico Gushi - Criador da Metodologia I.D.M. 
Facilitador de Workshop de Tomada de Decisão, Priorização, Estratégico e Inovação 

http://metodologia-idm.blogspot.com.br/  
  
CRIAVIVA  Treinamento de Tomada de Decisão e Priorização 
www.criaviva.com.br  -  criaviva@yahoo.com.br  - (11) 9 9778-7486
http://facilitadordeworkshopdeinovacao.blogspot.com/   
http://criavivaconsultoria.blogspot.com.br/    
http://brainstorming-idm.blogspot.com.br/ 

http://br.groups.yahoo.com/group/lider-facilitador/ (desde 2004)